Cosplay também aproxima culturas.

Sendo cosplay uma arte, é normal estar interligado a criatividade. Seja porque não se encontra um tecido com o estampado correcto, ou uns sapatos com o formato necessário, ou até mesmo por falta de imagens de referência com qualidade suficiente, ou com todos os ângulos para percebermos como é suposto ficar.
Depois há as questões religiosas.

Cosplayers muçulmanas, que devido à sua religião não podem ter o cabelo à mostra ou usar perucas, em tempos poderão ter tido deveras dificuldades em conciliar esta arte com as suas crenças, mas tudo mudou desde que começaram a integrar os tradicionais hijabs nos seus cosplays.

Saraswati, uma makeup artist extremamente conhecida no Instagram como Queen of Luna, é já uma guru no uso do hijab para o cosplay.

 

Reparem como não interessa a personagem ou o tipo de cabelo, com um bocado de criatividade consegue-se um efeito espectacular.

Sindi Yanti é outra cosplayer que se sentia dividida entre o cosplay e a sua religião até se lembrar de usar o hijab.

 

Cabelo comprido? Check
Tranças? Check
Cabelo apanhado? Check

Esta forma de cosplay está se a tornar tão popular e já tem tantos seguidores que já existem páginas dedicadas á mesma, como por exemplo esta.

Joana Rodrigues
Joana Rodrigues

Programadora por afinidade, aficionada pela cultura nipónica por natureza e cosplayer desde 2010.

No Comments Yet

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.